A Ética Animal começou a trabalhar na Índia

31 Jan 2020

A Ética Animal começou a trabalhar na Índia, iniciando com uma série de palestras em universidades abordando o especismo, a consideração moral dos animais, e a preocupação com o sofrimento dos animais selvagens. No dia 03 de Janeiro, demos uma palestra na Universidade de Osmania, e nos dias 09 e 30 de Janeiro, no Andhra Vidyalaya College. Nossas palestras são direcionadas principalmente para estudantes de campos relevantes para os animais não humanos, especialmente os animais selvagens. Isso inclui as ciências da biologia, bem-estar animal, zoologia e outros campos relacionados. Planejamos realizar eventos para outros públicos em universidades em todo o país.

Nas próximas semanas, daremos palestras em outras universidades, incluindo a Universidade de Hyderabad, a Universidade Rajasthan, o St. Ann College, o St. Francis College e a Universidade Nacional de Maulana Azad.

Você pode assistir uma breve amostra de uma de nossas palestras no vídeo a seguir, onde o conceito de especismo é apresentado aos estudantes da universidade:

 

Outra breve amostra de uma palestra diferente pode ser vista aqui

Você também pode ver algumas fotos dos eventos aqui

Existem razões poderosas para se considerar o trabalho na Índia muito promissor para se divulgar uma abordagem antiespecista e a preocupação com os animais selvagens. É previsto que a população da Índia, que se aproxima de 1,4 bilhões de habitantes atualmente, continue a crescer rapidamente na próxima década, e que se tornará o país mais populoso em poucos anos. A Índia também é um dos países que se desenvolve mais rapidamente, e foi estimado que pode já ter se tornado a quinta maior economia do mundo1.

Com sua diversidade de culturas, a Índia possui ainda alguns valores comuns nas diversas regiões, como por exemplo ahimsa (não-violência). Também há uma preocupação bastante difundida com o bem-estar dos animais sencientes, com mais de 30% da população declarando que não consome animais2 . Isso faz com que a Índia seja um lugar particularmente promissor para a divulgação do respeito pelos animais.

Assim como no restante do mundo, na Índia a preocupação no meio acadêmico sobre o bem-estar dos animais selvagens é muito pequena. Existem alguns projetos focados em melhorar o bem-estar de animais como elefantes, apesar de tais projetos serem muito raros. Ainda assim, a Índia enquanto subcontinente é uma das áreas com mais atividades para biólogos, devido aos esforços conservacionistas. Então, é um lugar onde a influência sobre cientistas das ciências naturais poderia ter um grande impacto.

A maior parte das milhares de organizações de defesa animal ao redor do país tende a focar em questões como, por exemplo, cães abandonados, sendo que apenas algumas poucas se preocupam com animais explorados como recursos. Além disso, a Índia é um dos principais produtores e consumidores de produtos de animais de criação, e a exploração animal está aumentando ao redor do país3 . Portanto, a visão da Ética Animal pode ajudar a fazer a diferença não apenas para o sofrimento dos animais selvagens, mas para a defesa animal em geral.

Além de nossa primeira série de palestras em universidades, começamos a criar uma rede com pessoas que já eram previamente defensoras dos animais. Nesse mês começaremos a distribuir materiais educativos que, embora sejam similares àqueles que estamos distribuindo em português e em seis outras línguas, são específicos para o público indiano. Planejamos começar a construir uma rede com pessoas ao redor do país preocupadas com o sofrimento dos animais selvagens, como fizemos em outros lugares.

Tudo isso, assim como o restante do nosso trabalho, é possível graças às pessoas que nos apoiam. Se você gostaria de ver continuarmos e expandirmos o nosso trabalho, considere nos ajudar

.


Notas

1 International Monetary Fund (2019) World Economic Outlook Database, October 2019, Washington D.C.: International Monetary Fund [referencia: 14 de janeiro de 2020].

2 Office of the Registrar General & Census Commissioner, India (2014) Sample registration system: Baseline survey 2014, New Delhi: Ministry of Home Affairs [referencia: 20 de janeiro de 2020].

3 Food and Agriculture Organization of the United Nations (2019) “Live animals”, FAOSTAT [referencia: 20 de janeiro de 2020].