Veganismo e antiespecismo

Ser vegano é o mesmo que ser antiespecista?

Rejeitar o especismo significa se opor a todas as maneiras pelas quais os animais não humanos são discriminados. Ser vegano é muito importante, pois significa deixar de explorar os animais não-humanos. Entretanto, não é a única coisa que podemos fazer pelos animais não humanos. Às vezes há pessoas veganas muito empenhadas em ajudar os humanos necessitados, mas que não têm a mesma atitude em relação a animais não humanos porque acham que os humanos são mais importantes. Essa é uma atitude especista, embora totalmente compatível com o veganismo. Não deveríamos tentar apenas não explorar os animais nós mesmos aderindo ao veganismo, mas também tentar não discriminar os animais não-humanos de outras maneiras. A situação dos animais não-humanos deveria nos preocupar mesmo quando não formos nós que estivermos a fazer eles sofrerem ou morrerem.

O especismo é muito difundido em nossa sociedade e os animais não-humanos são vítimas da injustiça mesmo quando não são explorados por nós. Os animais na natureza, por exemplo, sofrem de fome e de muitas doenças diferentes e evitáveis entre outros danos que os fazem sofrer intensamente e morrerem prematuramente. De um ponto de vista antiespecista, a situação deles também deveria preocupar a todos nós. Rejeitar o especismo significa que não deveríamos apenas nos recusar a causar danos aos animais não-humanos adotando o veganismo, mas que também deveríamos tentar ajudá-los sempre que possível aliviando o seu sofrimento e tentando evitar suas mortes prematuras.

 

Quais teorias éticas apoiam o veganismo?

A defesa da consideração moral dos animais não-humanos e a rejeição do especismo são apoiadas por todas as principais teorias éticas. Diferentes visões morais discordam sobre os motivos pelos quais deveríamos agir de certas formas e não de outras. Entretanto, todos os argumentos diferentes utilizados chegam à conclusão de que devemos considerar os interesses de todos os seres sencientes. Isso ocorre porque os argumentos contra o especismo não são particulares de uma teoria ética. Você pode aprender mais sobre as diferentes teorias éticas e sobre como elas diferem umas das outras quando se trata de defender os interesses dos animais não humanos em nossa seção sobre ética e animais.

 

Precisamos falar das vantagens sobre a saúde de uma dieta vegana para promover o veganismo?

Algumas pessoas têm dúvidas sobre se o veganismo é saudável, pois a informação que nos mostra que ele é totalmente saudável1 nem sempre está disponível. É útil enfatizar o fato de que todos os que decidem respeitar os animais e se tornarem veganos podem ser perfeitamente saudáveis se comerem uma dieta bem equilibrada. Entretanto, isso é diferente de dizer que as pessoas devem ser veganas porque isso pode ser mais saudável, ou de assumir que precisamos enfatizar os benefícios para a saúde das dietas veganas.

Em primeiro lugar, não devemos perder de vista o quão importante é aproveitar as chances de falar em favor do respeito pelos animais. Além de deixar de prejudicar os animais com a forma que comemos, existem outras maneiras pelas quais podemos desencadear uma mudança pelos animais. Podemos conversar com outras pessoas e fazer trabalho de ativismo. É importante que mais e mais pessoas mudem suas atitudes em relação aos animais não humanos. Por causa disso, temos fortes razões para argumentar contra a exploração e a discriminação contra os animais.

Além disso, ser saudável ou maior ou menor medida é visto por muitas pessoas como uma escolha pessoal, individual. Entretanto, prejudicar e matar outros animais sencientes não deve ser visto como algo que pode ser justificado como uma escolha pessoal. Às vezes é sugerido por veganos que, enquanto optar por deixar de explorar os animais pode ser saudável para nós, será especialmente saudável para os animais envolvidos. O que isso significa é que essa escolha é muito importante para as vidas e o bem-estar de muitos animais. Se nossas escolhas pessoais são as que afetam apenas o que fazemos, nossa decisão de parar de prejudicar os animais vai muito além de ser uma escolha pessoal.

Finalmente, promover o veganismo pelos seus benefícios para a saúde pode dar a impressão de que mesmo aqueles que se preocupam com animais não humanos ainda consideram os benefícios para a saúde de uma determinada dieta como algo mais importante do que aquilo que acontece com os animais. Incentivamos todos os ativistas veganos a falarem sobre a necessidade de se respeitar todos os seres sencientes como uma questão muito importante que não deveria ser considerada secundária em relação às questões humanas não vitais.

 

A promoção do veganismo tem de estar relacionada à adoção de uma visão ambientalista?

Por vezes acredita-se que ao defender o veganismo, devemos apontar para algumas consequências ambientais da exploração animal (porque criar animais para alimentação implica em usar importantes quantidades de alimentos e água para alimentá-los, e isso também resulta em grandes quantidades de dejetos, entre outros fatores.) Entretanto, existem razões importantes para se rejeitar a ideia de que o veganismo deveria estar relacionado ao ambientalismo.

Por vezes acredita-se que o ambientalismo e a defesa dos animais estão ligados. Entretanto, são duas coisas muito diferentes que podem ter consequências opostas. Embora existam algumas formas de exploração animal que o ambientalismo rejeita, há outras que não rejeita, incluindo a exploração de pequenos animais como os invertebrados, ou a agricultura orgânica que ainda implica em fazer os animais sofrerem e a matá-los. A caça e a pesca sustentáveis também são totalmente aceitáveis a partir de muitos pontos de vista ambientalistas. Devido a isso, promover mudanças na dieta por razões ambientalistas pode levar a incentivar a exploração de alguns animais em vez de outros.

Isso ocorre porque o ambientalismo está preocupado com a conservação de entidades como ecossistemas ou espécies, e não com os indivíduos sencientes. Entretanto, aqueles que podem sofrer e serem prejudicados quando os exploramos são os indivíduos animais, e não ecossistemas ou espécies.

Se o que importasse fosse o que acontece com ecossistemas ou espécies, seria justificado prejudicar os animais em prol da conservação ambiental. De fato, muitas organizações ambientalistas têm defendido isso, por exemplo, quando apoiaram que certos animais como cervos fossem caçados porque a sua população é considerada “grande demais”, ou quando promoveram a experimentação animal para testar o quão poluentes são certos produtos químicos. Se, no entanto, discordamos disso, é porque pensamos que os seres sencientes devem ser respeitados, e que isso é mais importante do que a promoção de objetivos como esses. Portanto, como a preocupação com os animais e o ambientalismo pode ter objetivos ou consequências conflitantes, podemos ver por que pode ser um problema apelar a ideais ambientalistas para promover o veganismo.

 

Os animais que vivem comigo como os cães e gatos podem ser veganos também?

Sim, as dietas veganas caninas e felinas podem ser nutritivas e seguras, desde que os animais recebam alimentos nutricionalmente completos e razoavelmente equilibrados, especialmente preparados para satisfazer todas as suas necessidades nutricionais. O que cada animal precisa é a quantidade e a combinação certas de nutrientes, e não de tipos específicos de alimentos. Os nutrientes encontrados na carne, por exemplo, podem ser fornecidos a animais como cachorros e gatos usando produtos que os obtém de outras fontes. Várias marcas comerciais como Vegepet, V-dog, Benevo, Evolution e Amì oferecem uma gama de alimentos para cães e gatos veganos que estão se tornando cada vez mais populares. Além disso, algumas pessoas também fazem sua própria comida vegana para cães ou gatos.

Para mais informações, você pode visitar esta página onde isso é explicado em detalhes.

 

Existe alguma outra maneira de ajudar os animais além de se tornar vegano?

Sim! Se você quer fazer a diferença para os animais você pode ajudar a aumentar a conscientização sobre o especismo e sobre a necessidade de se respeitar todos os animais sencientes. Além de não prejudicar os animais nós mesmos, podemos incentivar os outros a deixarem de usar os animais também. Além disso, para aumentar o impacto que você pode ter em tornar o mundo um lugar melhor, você pode se envolver e se voluntariar em uma organização que defende todos os seres sencientes. Você pode ajudar a Ética Animal ou outra organização que trabalhe para providenciar o fim do especismo.


Notas

1 Melina, V.; Craig, W. & Levin, S. (2016) “Position of the Academy of Nutrition and Dietetics: Vegetarian diets”, Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics, 116, pp. 1970-1980 [acessado em 8 de setembro de 2018].

Ética Animal em outras línguas