Top nav

Os danos causados por gatos em ambientes externos: novo relatório

 

TOs danos causados por gatos em ambientes externos: novo relatório

Um relatório sobre os efeitos de deixar gatos circularem em ambientes externos, chamado Cats and wildlife (Gatos e animais selvagens), foi publicado online por Kerstin e Stephan Voigt da organização Wild Bird Aid, situada na Ilha de Wight, no Reino Unido[1]. O relatório está disponível em pdf.

Muitas pessoas bem intencionadas pensam que deixar os gatos em ambientes externos é bom para eles. Infelizmente, os dados disponíveis indicam que isso é muito arriscado para os gatos e fatal para muitos outros animais. Gatos que passam algum tempo em ambientes externos podem matar milhares de animais mesmo se estiverem bem alimentados. Além de prejudicar os animais que eles caçam, gatos que circulam em ambientes externos estão vulneráveis a sérias doenças, como a leucemia e o FIV (vírus da imunodeficiência felina). Um grande número de gatos também morre em acidentes de trânsito.

O relatório Cats and Wildlife faz uma revisão da literatura e resume alguns estudos sobre gatos e seu impacto sobre outros animais, principalmente nos Estados Unidos e no Reino Unido, embora também inclua informações da Austrália e do Canadá.

Em seu trabalho na organização Wild Bird Aid, antes conhecida como Wight Nature Wildlife Rescue and Rehabilitation, Kerstin y Stephan Voigt resgataram e trataram centenas de aves e outros animais seriamente feridos por ataques de gatos. Isso tem consequências reais que os atores viram de maneira bastante clara muitas vezes.

cats-wildlife-report

Capa do relatório

Os danos sofridos por gatos e pelos animais que eles caçam

Gatos deixados a circular em ambientes externos muitas vezes enfrentam o sério risco de serem atropelados, mesmo em áreas rurais. Estima-se que cerca de 26 milhões morram após serem atropelados, somente nos Estados Unidos[2]. Outros são seriamente lesados ou mutilados. Gatos em ambientes externos também estão vulneráveis a doenças disseminadas facilmente e ao abuso por seres humanos.

Contudo, os mais prejudicados quando gatos circulam em ambientes externos são os animais que eles caçam. Estima-se que gatos matem entre 1,4 e 3,7 bilhões de aves e 6,9 a 20,7 bilhões de mamíferos por ano nos Estados Unidos[3]. No Reino Unido, estima-se que cerca de 55 milhões de aves sejam mortas anualmente por gatos que vivem em residências, isto é, sem contar os gatos ferais. O número de animais mortos seria muito maior se incluísse outros animais como pequenos mamíferos e lagartos. Gatos ferais matam três vezes mais animais, mas gatos que vivem em lares humanos matam bilhões de animais por ano apenas nos Estados Unidos.

A forma como os gatos matam suas presas pode ser muito dolorosa. Quando isso ocorre rapidamente, os gatos atacam a presa e a imobilizam. Depois eles mordem o pescoço da vítima, o que a sufoca, rompe a medula espinhal, ou causa hemorragia fatal ao perfurar a artéria carótida ou a veia jugular[4].

Gatos domesticados que são bem alimentados em casa muitas vezes não matam com rapidez, mas prolongam o sofrimento das vítimas. Acredita-se que gatos domesticados gostam de prolongar a experiência torturando e brincando com suas presas por diversão[5].

Paolo-Wild-Bird-Aid

Paolo, um pintassilgo atacado por um gato, na Wild Bird Aid

Gatos são considerados uma das principais “fontes de mortalidade antropogênica das aves e mamíferos dos Estados Unidos.”[6] Também é dito que gatos causaram a extinção global de 33 espécies de aves[7]. Esta é uma estatística útil porque ajuda a nos dar uma noção de quanta morte é causada por gatos que caçam, mas a conservação de espécies está fora de questão: o importante são os indivíduos que estão sendo mortos. Cada pássaro filhote que morreu de inanição porque sua mãe foi comida por um gato enquanto procurava por alimento importa. Cada lagarto, anfíbio, roedor, peixe e inseto deve ser protegido quando possível. Eles não querem ser prejudicados, da mesma forma que humanos ou os animais em nossos lares.

Gatos não são responsáveis por suas ações e os seres humanos que vivem com eles são bem intencionados, mas muitas vezes carecem de informação adequada

É claro, os gatos não devem ser culpados por isso. Na verdade, os próprios gatos muitas vezes são prejudicados ao serem deixados em ambientes externos, como apontado acima, já que muitas vezes são vítimas de acidentes e estão suscetíveis a doenças que podem ser fatais.

A maioria das pessoas que vivem com gatos está preocupada com o que acontece aos animais. Elas têm boas intenções quando os deixam sair, já que querem que os gatos sejam mais felizes ao poderem circular livremente. Muitas pessoas não estão cientes de quanto dano os gatos podem causar a outros animais. Elas podem perceber que gatos às vezes atacam outros animais, mas não conseguem notar a magnitude das consequências do fato de gatos estarem em ambientes externos.

Jurek-Wild-Bird-Aid

Jurek, um rato-do-campo

Uma razão para isso é que a maioria das pessoas que vivem com gatos não vê a maior parte dos animais que eles caçam. Às vezes gatos levam para casa um animal caçado, mas estudos mostram que eles levam para casa apenas uma pequena porcentagem dos animais que capturam. Embora alguns dos animais que gatos trazem para casa estejam vivos e possam ser libertados pelos seres humanos com quem estes gatos vivem, raramente estes animais sobrevivem. É provável que eles morram devido a ferimentos ou a infecções bacterianas onde foram mordidos.

Há pouca informação sobre este tema para quem defende os animais e para o público em geral, o que torna relatórios como o Cats and Wildlife especialmente valiosos.

Gatos não têm a escolha de irem para ambientes externos ou não. Os seres humanos que vivem com eles, por outro lado, têm uma escolha. O sofrimento e as mortes de milhões de gatos e de um número muito maior de animais caçados por gatos todos os anos pode ser prevenido. Poderia haver uma grande redução nesse número se as pessoas que vivem com gatos tomassem medidas para mantê-los dentro de casa e se programas do tipo Capturar-Esterilizar-Soltar (CES)[8] para gatos ferais e de rua fossem ampliados. Gatos podem viver felizes e com segurança dentro de casa, especialmente se vivem com outros gatos.

Existem formas de tornar seu lar adequado para gatos para que eles não precisem sair para se divertirem[9]. Filhotes mantidos dentro de casa geralmente ficam felizes em permanecer dentro quando crescem. Se você tiver um quintal ou pátio, você também pode construir um recinto ao ar livre ali. Um espaço perto da janela também pode ser suficiente. Se o gato vai para fora, certifique-se que não há aberturas por onde eles possam sair do recinto e observe-os para que não tenham a oportunidade de prejudicar outros animais como aves. Você também pode considerar ensiná-lo a andar com uma coleira.

Como garantir que os gatos vivem felizes e com segurança dentro de casa

Brincadeiras podem satisfazer seu desejo de caçar. Use diferentes brinquedos que permitam aos gatos vigiar, perseguir, atacar e chutar. Deixe os brinquedos em casa enquanto você estiver fora, e mude-os de vez em quando para que pareçam novos e chamem a atenção. Traga algumas plantas como grama para os gatos mastigarem como poderiam fazer nos ambientes externos.

As mudanças podem parecer difíceis a princípio, mas valem a pena ao considerar que você pode ajudar a prevenir o sofrimento e mortes de muitos animais tomando essas atitudes.

 

Trabalhando por um futuro melhor para todos os animais

cats-new-report

Gatos podem viver felizes dentro de casa

Algumas pessoas rejeitam a prática de impedir seus gatos de caçarem porque a caça é “natural”. Entretanto, só porque algo é natural não significa que se justifique nem que seja necessário. Como discutimos anteriormente, existem muitas coisas que são naturais e que muitos de nós consideramos moralmente inaceitáveis. Comportamentos humanos agressivos podem ser naturais, mas isso não significa que devemos aceitá-los. Rejeitar o assassinato de seres humanos ou de algumas espécies favorecidas mas aceitar o assassinato de outras é especista. Seria discriminatório favorecer os gatos sobre suas vítimas permitindo que gatos cacem. Devemos trabalhar por um futuro melhor para todos os animais sencientes, não apenas aceitar o que consideramos natural.

Com esse objetivo, é muito importante continuar pesquisando sobre este e outros temas relacionados, para podermos saber como dar um fim aos danos que muitos animais sofrem. Consideramos positiva a publicação deste relatório, e recomendamos sua leitura. Também queremos agradecer a Kerstin e Stephan Voigt por seu trabalho.

 

Referências:

[1] Voigt, K. & Voigt, S. (2015) Cats and wildlife, Wight: Wild Bird Aid (former Wight Nature Wildlife Rescue and Rehabilitation), [acessado em 15 de dezembro de 2015].

[2] Bartlett, B. and others (2012 [1993]) “Summary of past data”, Roadkill [acessado em 29 de janeiro de 2016].

[3] Loss, S.; Will, T. & Marra, P. (2013) “The impact of free-ranging domestic cats on wildlife of the United States”,Nature Communications, 4, [acessado em 26 de janeiro de 2016].

 

[4] Sheppard Software “Cats as hunters”, Cat Topics, [acessado em 12 de janeiro de 2016].
[5] Perfect Paws “understanding your cat’s predatory behavior”, Cat Behavior, [acessado em 12 de janeiro de 2016].
[6] Loss, S.; Will, T. & Marra, P. (2013) “The impact of free-ranging domestic cats on wildlife of the United States”,Nature Communications, 4 [acessado em 26 de janeiro de 2016].
[7] American Bird Conservatory (2012) “’Kitty cam’ reveals high levels of wildlife being killed by outdoor cats”, Results, 8 August [acessado em 6 de dezembro de 2015].

[8] Alley Cat Allies “Why trap-neuter-return feral cats: the case for TNR”, Conduct TNR Guide, [acessado em 12 de janeiro de 2016].

 

[9] The Humane Society of the United States “10 tips to keep your cat happy indoors”, Animals, [acessado em 6 de dezembro de 2015].

 

 

Comments are closed.

Top nav